Notícias

29 de Mai de 2019

Homilia - Solenidade da Ascensão do Senhor

Nosso porto seguro está em habitar na glória de Deus

 

        Celebrar a ascensão do Senhor é manifestar a certeza de que o Senhor, ao subir ao céu, nos abriu um caminho que nos dá acesso a Deus, a sua glória e a sua imortalidade. Um caminho que só pode ser obstruído unicamente pelo pecado. Mas para que isso não aconteça precisamos caminhar neste mundo, porém com o olhar voltado para o céu, para que “saibais qual a esperança que os seu chamamento vos dá, qual a riqueza da glória que está na vossa herança com os santos” (Ef 1, 18-19).

        Quando tomamos conhecimento deste caminho, entendemos que por maior que sejam as conquistas materiais, os êxitos humanos, não temos neste mundo porto seguro. Pois nosso porto seguro está em habitar na glória de Deus. E isto se torna possível quando nos convertemos e procuramos o perdão dos pecados como caminho de reconciliação com Deus que nos ama profundamente em seu filho Jesus Cristo.

        Ao subir ao céu, nos abrindo o caminho que nos dá acesso à glória de Deus, o Senhor também inaugura um novo modo de presença na humanidade e dá aos discípulos a missão de continuar a sua missão salvífica. Por isso derrama sobre eles sua benção como um envio, eles O adoram e se mantém assíduos a oração no templo (cf. Lc 24, 51-53). Como quem se prepara para receber o Espírito que vem do alto e assume a missão que lhes foi confiada.

        Agora Jesus se faz presente em nosso meio através da Eucaristia, dos demais sacramentos, na Igreja, na comunidade cristã, nos pequenos deste mundo, na Palavra e no sacerdote, como nos lembra a Lumen Gentium n. 21 “O Senhor Jesus Cristo, Sumo Pontífice, está presente no meio dos crentes na pessoa dos Bispos, assistidos pelos presbíteros”. Assim, o Senhor subiu para o Pai, mas não nos deixou abandonados. Nós é que, obstinados pelo pecado, o abandonamos como muitos o desprezaram no tempo de sua existência histórica.

        Hoje abandonar a comunidade, a Igreja, desprezar os sacramentos, os pequenos, desprezar a Palavra, a família, o sacerdote é desprezar o próprio Jesus Cristo “Quem vos escuta, a mim escuta; e quem vos despreza, a mim despreza; ora, quem me despreza, despreza Aquele que me enviou” (Lc 10, 16). E desprezar esses lugares da presença viva de Jesus Cristo é abandonar o caminho que nos conduz à glória de Deus.

        Sem este caminho o homem caminha sem destino. Por que aumenta o número de pessoas que desistem da vida, desistem de si mesmo, desistem do outro? É que, quando o homem desiste de Deus, consequentemente, desistirá de si e dos outros. Pois sem Deus o homem não passa de um caminhante errante em meio a um mundo conturbado, vazio de esperança.

        Portanto, voltemos nosso olhar para o céu, voltemos o nosso coração para Deus. Assim, continuaremos caminhado em meio a um mundo conturbado, mas com a certeza de que ele é apenas um caminho, não é ponto de chegada. O ponto de chegada do homem é a glória de Deus, e “a glória de Deus é o homem vivo, e a vida do homem é a visão de Deus” (Santo Irineu). Só a glória de Deus pode preencher a sede de infinito que há no coração do homem. O que vai para além disso não passa de anestésico enganador.

 

Pe. Hélio Cordeiro

Mais nesta categoria:

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.