Artigos

05 de Mai de 2021

Ano de São José: um convite a refletir sobre a vontade de Deus.

 

Fomos agraciados pela Santa Igreja com a promulgação do ano de São José, e por tal motivo somos chamados à reflexão sobre o papel da vontade de Deus em nossas vidas, isto é, analisar se somos capazes de, como São José, abandonar os nossos esquemas e projetos em função da missão que nos é dada pelo Pai celeste. Hoje, mais do que nunca, as pessoas buscam algo que possa lhes preencher o coração, algo em que possam pautar o ideal de sua existência e enfim alcançar a felicidade que tanto almejam, no entanto, este ideal somente pode ser um, e São José tão logo entendeu: fazer a vontade de Deus.

A vontade de Deus não é uma opção agradável quando focamos apenas no nosso querer, pois na maioria das vezes ela se opõe a nossa própria vontade e expectativas e assim acabamos frustrados; mas somente um coração que acredita fielmente é capaz de um abandono confiante mesmo diante de todas as incertezas e temores. São José se assusta ao se deparar com os planos de Deus: estava comprometido em casamento com Maria e ao saber que ela tinha concebido sem se conhecerem, por ser um homem justo, busca rejeitar Maria em segredo (Cf. Mt 1,18-19). Se somente a justiça habitasse no seu coração ele poderia denunciá-la, no entanto, o amor que habita em seu coração fala mais alto; diante disso, pode-se entender que para se abrir aos planos de Deus é necessário ter uma relação verdadeira e intrínseca entre justiça e amor.

São José não esperava ser chamado para tão grande missão, e podemos imaginar o sofrimento que havia no seu coração por abandonar Maria, pois ele a amava da maneira mais pura e sincera, mas quando o anjo lhe aparece em sonho outro sofrimento aflige seu coração: a indignidade para tamanha missão. Ele não estava pronto, mas como um homem que é firme na sua fé e convicções, além de humilde para se deixar conduzir, oferece todo seu ser ao Senhor, sabendo que os planos de Deus ultrapassam sua compreensão, assim sendo não busca compreender, mas confiar.

Os projetos de Deus estão além de nossa compreensão, todavia a grande questão é: a minha adesão de fé está baseada no que eu conheço ou em Quem eu confio? Diante do que Deus quer para nossa vida não adianta sermos indiferentes, pois estaremos sob a triste pena de sermos infelizes, mas ao contrário disso, somos convidados ao caminho da verdadeira felicidade. Entretanto, como São José, precisamos caminhar ao lado de Jesus Cristo e da Virgem Santíssima no meio das adversidades e sofrimentos sabendo que a vida dos justos está nas mãos de Deus.

Portanto, neste ano de São José, devemos refletir sobre os rumos que estamos tomando e se a vontade de Deus encontra espaço nos nossos corações, tão agitados pelas preocupações, e nossos próprios projetos. Temos como necessidade encontrar o verdadeiro ponto da liberdade em dizer: eu sou responsável por assumir a vontade do Senhor em minha vida. Cresçamos no amor, na justiça, na humildade, no abandono confiante, para que assim, por intercessão de São José, possamos responder aos desígnios do nosso Pai celestial.

Seminarista Pablo Coelho Veleda - 1º ano da configuração.

 

Oração

Salve, guardião do Redentor
e esposo da Virgem Maria!
A vós, Deus confiou o seu Filho;
em vós, Maria depositou a sua confiança;
convosco, Cristo tornou-Se homem.

Ó Bem-aventurado José, mostrai-vos pai também para nós
e guiai-nos no caminho da vida.
Alcançai-nos graça, misericórdia e coragem,
e defendei-nos de todo o mal. Amém.

Mais nesta categoria:

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.