Notícias

10 de Mai de 2016

A linguagem da cruz

Quando falamos da Cruz, nos envolve um grande mistério, este que nos aproxima de Deus e nos leva a reflexão. A cruz sempre fará parte de nossa vida, primeiro porque por ela o Cristo Senhor nos salvou fazendo dela o seu altar, o altar do sacrifício, desde as prefigurações do Antigo Testamento, com Abraão quando pela fé entrega o seu filho para o sacrificio, imagem do Cristo que é oferecido como cordeiro sem mancha, levado ao matadouro, fazendo em tudo a vontade do Pai. 
A linguagem da Cruz, do mistério da nossa fé traçou toda a história, do Gênesis ao Apocalipse, todo prefigurativo do Cristo que nasceria de uma virgem e seria Deus Conosco, guerreiro e princípe da Paz. Toda a vida de Cristo foi um doar-se ao Pai e aos irmãos, desde os milagres que faziam até o grande milagre que foi o da Ressurreição e Ascensão. Todo nosso ser passa pela cruz, nossa vida cristã é traçada pelo mistério pascal, desde o momento que Cristo nosso Senhor se oferece como Pão como relata o evangelho de São João no Capítulo 6, sobre o discurso do pão da vida, dando de sua carne e de seu sangue, tornando-se presente por amor para salvar o mundo, quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. É o cordeiro de Deus dito por João Batista no rio jordão, quando a vista Cristo que vem ao seu encontro para ser batizado.
A Cruz é sinal da manifestação do Amor Incondicional de Deus por Nós, como nos relata as Escrituras ninguém tem maior amor do que aquele que da a vida por seus irmãos, assim foi Deus capaz de doar o seu único filho para morrer por mim e por você. Os judeus pedem sinais miraculosos, e os gregos procuram sabedoria; nós, porém, pregamos a Cristo crucificado, o qual, de fato, é escândalo para os judeus e loucura para os gentios, mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus (1° Cor 1:22-24).
Ela faz parte do nosso chamado, relembra-nos o evangelista (São Lucas 9,23) onde Nosso Senhor deixa bem claro que quem quisesse segui-lo renunciasse a si mesmo tomasse a cruz e seguisse. Neste sentido  Jesus nos exorta a abrirmos os olhos e nossas mentes, termos os pés no chão, lhe darmos com nossas cruzes, ou seja, nossos desafios cotidianos com coragem e muita fé, sabendo que depois do sofrimento vem a bonança, a alegria de servir a Deus nos irmãos. A cruz nos faz lembrar que seguir Cristo não é fácil, porém não impossivel, pois ele esta conosco e disse que estaria até o fim do mundo.
A Sagrada Escritura nos confirma tudo isso pela presença do Espirito Santo na vida dos apóstolos, presente este doado por Jesus, que nos da forças e nos faz testemunhas vivas da vida e da missão de Cristo e sua Igreja.
Enfim, a cruz precisa ser nosso norte cotidiano, para que depois de abraça-la por toda nossa vida, cheguemos a glória da Ressurreição, juntamente com a Virgem Santissima que contemplou a oferta de seu filho na cruz e fez dela seu lugar de oração estando aos seus pés.
Ricardo, 1○ Teologia

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Mais nesta categoria:

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.